segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

A igreja católica matou e mata mais que Adolph Hitler!


A IGREJA CATÓLICA NÃO É UMA IGREJA CRISTÃ!

O Crente em JESUS CRISTO, precisa deixar de afirmar que a religião católica é cristã!

Muitos líderes evangélicos perderão a visão e querem estar de bem com a chamada igreja católica e a colocam ao nosso lado. Ela não pertence em nada a igreja NOIVA.

ELA NÃO É e não faz parte da NOIVA de JESUS!

Precisamos dar um basta a este engano!

COM CERTEZA ABSOLUTA! ELES NÃO SÃO NOSSOS IRMÃOS EM CRISTO!

Parece uma afirmação terrível, aos olhos de qualquer que seja. Mas, é verdade e podemos afirmar, quase sem balbuciar, que ela está bem posicionada, na demonstração do vídeo abaixo:

Você pode parar e pensar. Analisar e concluir. Fique à vontade!

Envie, e acrescente informações, sobre esta mortandade, que sempre existiu e que continuará, em seu pior genocídio para o homem. A morte espiritual.

Maranata!

O menor de todos os menores. Um Tradicional Pentecostal.

8 comentários:

T.Mendes disse...

A Paz,
bem Pastor, sempre vi Ap 17 como o sistema religioso na primeira metade da tribulação, na metade, a destruição desse sistema religioso mundial e na segunda metade ele se considerar deus, não mais precisando de uma religião mundial. O ecumenismo é inevitável se levarmos em conta o Ap 13. Bem aventurado o que houve e escuta essas profecias, passadas de geração em geração certamente fará que alguém não seja pego de surpresa desviado, ou não vigiando. Em 2009, certavez, o Papa pediu e avisou que o mundo necessitaria de um líder bélico mundial e uma só moeda.Veja a reportagem:

O Pontifício Conselho Justiça e Paz do Vaticano publicou uma nota abordando o tema da crise financeira mundial, intitulada “Para uma reforma do sistema financeiro e monetário internacional na perspectiva de uma autoridade pública de competência universal”.

Nessa nota, sob argumentos humanitários, o Vaticano propõe que todos os países do mundo avancem nos estudos de estabelecer uma autoridade mundial, para assuntos financeiros e bélicos. Segundo a nota, “ninguém, conscientemente, pode aceitar o desenvolvimento de alguns países em desvantagem de outros”. Para o Vaticano, “o caminho rumo à construção de uma família humana mais fraterna e justa e, antes ainda, de um renovado humanismo aberto à transcendência, parece ainda muito atual”.



Ressaltando a Carta encílica “Pacem in Terris”, (termo em latim que pode ser traduzido como Paz na Terra), escrita em 1963 por João XXVIII e que previa uma unificação cada vez maior do mundo, a nota afirma que desde aquela época, se reconhecia o fato de que, na comunidade humana, faltava uma correspondência entre a organização política, ‘no plano mundial, e as exigências objetivas do bem comum universal’. Por conseguinte, desejava que um dia se pudesse criar ‘uma Autoridade pública mundial”, afirma a nota.

O processo de globalização do mundo e dependência mútua cada vez maior dos países é classificada pela Igreja Católica como um fato previsto pelo Papa João XVIII em sua carta, e apoiada pelo Papa atual, Bento XVI. “Face à unificação do mundo, favorecida pelo complexo fenômeno da globalização; perante a importância de garantir, para além dos demais bens coletivos, o bem representado por um sistema econômico-financeiro mundial livre, estável e ao serviço da econômica real, hoje o ensinamento da Pacem in terris parece ainda mais vital e digno de urgente concretização. O próprio Bento XVI, no sulco traçado pela Pacem in Terris, manifestou a necessidade de constituir uma Autoridade política mundial”.

O comunicado explica os motivos, classificados pela igreja católica como humanitários, de se apoiar um governo único, proposta que é entendida por teólogos como parte do surgimento do Anticristo, previsto nas profecias do Apocalipse. O Vaticano propõe uma reflexão na luta pelo desarmamento dos países: “Pensemos, por exemplo, na paz e na segurança; no desarmamento e no controle dos armamentos; na promoção e na tutela dos direitos fundamentais do homem; no governo da economia e nas políticas de desenvolvimento; na gestão dos fluxos migratórios e na segurança alimentar; e na salvaguarda do meio ambiente. Em todos estes âmbitos, é cada vez mais evidente a crescente interdependência entre Estados e regiões do mundo, e a necessidade de respostas, não apenas setoriais e isoladas, mas sistemáticas e integradas, inspiradas pela solidariedade e pela subsidiariedade, e orientadas para o bem comum universal.”

é...

Newton Silva disse...

Nessa Profecia onde se encaixam Bento 16 e Francisco?

Doutrina Cristã disse...

Esse é o meu pastor forte que não tem medo de nada. Abraço meu amigo
to saudade dos seus telefonemas.

Valdicéia dias disse...

Sabe, pastor, na igreja católica, aprendemos que todos somos irmãos em Cristo. Diferente do que o senhor está pregando. Pelo visto só é filho de Deus quem te segue, melhor, quem segue sua crença???
Que Deus te abençoe e te ilumine, acredito que está precisando, afinal, se diz servo do senhor incitando o ódio...
MISERICÓRIDIA SENHOR

Julio disse...

Só li verdades! Parabéns pela coragem em dizer a verdade,Pastor.

Weliano Pires disse...

Ser Cristão implica em:
1) Crer na Bíblia como único manual de fé e doutrina; 
2) Crer em Jesus Cristo como único e suficiente salvador; 
3) Crer na salvação como fruto da Graça de Deus, mediante a fé em Cristo; 
4) Crer em um único Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. 

Portanto, quem tem outros livros sagrados além da Bíblia e acredita que tradições humanas tem o mesmo valor da Bíblia, não é Cristão;
Quem acredita que outra pessoa, objeto, ou instituição, além de Cristo, pode salvar, não é Cristão. 
Quem acredita em salvação por méritos humanos, por obras, por sofrimento, ou por pertencer à alguma instituição humana, não é Cristão;
Quem acredita na existência de outros deuses ou energias divinas, além do Eterno e Único Deus e a eles cultua, não é Cristão.

Por estas e por outras, eu concordo plenamente com o senhor, Pr. Newton, e reafirmo que os Católicos não são cristãos.

Zilmar disse...

Então examine as escrituras e você vai ter respostas concretas da verdade que liberta. Pense porque que a igreja católica chama vocês membros de leigos ou seja, sem conhecimento. É exatamente por isso que os católicos são orientados a não estudarem a Bíblia inclusive nem incentivam que os membros tenham biblias para que as pessoas comam nas mãos deles através daqueles trechinhos da Bíblia principalmente aonde defende a idólatria e o culto a Maria Isso meu jovem é so a ponta do aiciberg. É lamentável o engano que vocês são submetidos ao longo dos anos ou séculos.

Zilmar disse...

Exatamente!!!! Concordo plenamente parabéns