sábado, 24 de outubro de 2015

Vale a pena continuar a escrever?

Tenho pensado em escrever mais uma matéria.

Mas também tenho pensado com os meus botões: Será que há esta necessidade?

Não estaria eu entrando pelo caminho das repetições ou da redundância?

Estamos diante de um momento tão desastroso da igreja no Brasil, que me parece ter encontrado, por vezes uma multidão de zumbis, caminhando como que sem direção e sem um propósito.

A cegueira é total diante da barbaridade cometida por vândalos divulgadores de heresias.

São líderes que não procedem de Deus. São lobos disfarçados de ovelhas. São devoradores.

Não encontro mais palavras para estes bárbaros tragadores de vidas. E pior... vidas que são tratadas como um produto em um comércio ambulante e sem as respectivas características de algo sério a ser negociado.

O interesse maior é marcado pelas vidas que cada vez menos conhecem a Deus. Não possuem planos definitivos para o futuro da humanidade, e sim, para o seu próprio presente. Mal se preocupam com o seu futuro.

Perecem sem paz e com o estômago abarrotado pela fartura de medicamentos e alimentos espirituais de péssima procedência. Estão doentes e cambaleantes como baratas tontas diante de uma grande confusão.

Que o Senhor nos inspire com estratégias para, sem medo dos homens, seguirmos em frente, não na nossa própria força, mas na autoridade do Senhor, para livrar-mos a muitos destas armadilhas que são como trilhas espaçosas para o caminho que leva à Porta Larga da morte eterna.

Maranata!

O menor de todos os menores.

4 comentários:

Geovani Santos disse...

Escrever é preciso pastor Newton. Escreva, escreva, escreva e continue escrevendo...
O Senhor é contigo!

Sam disse...

Vale muito! Nós, jovens cristãos, precisamos de referências!

Gilmar Bapthista disse...

Paz do Senhor!

Os perversos desviaram-se desde o útero;
Eles andaram errantes desde o ventre com palavras de mentira.
Veneno para eles (têm) como o veneno de serpente,
Assim como uma víbora surda tapando seu ouvido;
Que não ouve pela voz dos que encantam;
Encantadores que encantam o que é instruído (Sl 58:4-6).

O salmista escreve à sua geração, por estarem indiferentes a Lei. Chega a compará-los à uma "víbora surda", pois não querem ouvir a Palavra. A nossa geração precisa mais do que nunca: ouvir ou ler uma mensagem de Deus.

Entendo que, as vezes, nos faltam palavras para alertar esta geração de "víboras surdas". Mas devemos continuar. Paulo escrevendo aos crentes de Filipos disse: "...Não me canso de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós." Escrever aquilo que já leram - reescrever - é trazer-lhes segurança para suas vidas.

Pb. Gilmar Bapthista

Camboriú, SC




Ciro Sanches Zibordi disse...

Uma palavra, em letras garrafais, caro atalaia: CONTINUE!

Duas: NÃO PARE!

Três: DEUS O FORTALECE!

Quatro: MAIOR QUEM O CHAMOU!

Cinco: ESCREVA, CUSTE O QUE CUSTAR.

Seis: "TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE" (Fp 4.13).

Sete: FELIZ NATAL, AMIGO, MUITO AMADO POR JESUS!

Em Cristo,

CSZ