terça-feira, 28 de setembro de 2010

Penso que estamos diante de um GRANDE MOMENTO!

Penso que estamos diante de um GRANDE MOMENTO!

O povo escolherá quem irá governar o país. O povo irá definir quem será o próximo Pôncio Pilatos no Brasil.

O novo governante - desejo estar errado - lavará as mãos, diante da escolha da maioria dos participantes no "NOVO GOVERNO", este, que será resultado da voz do povo.

Dizem que a voz do povo é a voz de Deus. Ai está a maior conversa fiada que será a máquina motivadora dirigida pelo eleito ou eleita.

A voz de Deus, nunca foi resultado da voz do povo. E sim, o povo detesta ouvir a voz de Deus.

A voz de Deus exige MORAL! A voz de Deus exige LIBERDADE para o conhecimento ESPIRITUAL.

A voz do povo é contra tudo que elimina as orientações bíblicas e aprova tudo o que for para o deslize moral e agressão a comunidade. O mundo jaz no malígno e o desejo do mundo é dirigido as suas necessidades da carne.  

Estamos diante de um povo rebelde e que deseja conquistar seus ideais, não importa em que situação moral possa estar. O que importa é o bem-estar consigo mesmo.

Esta que será uma esmagadora decisão favorável ao aborto, a maconha, aos casamentos gays e... triste... muito triste: a adoção de crianças por casais de homossexuais e lésbicas, sem falar nos casamentos de "papel passado" por estes que estão à margem da PALAVRA DE DEUS.

Não importa quem será escolhido. Crente ou não! Surgirá o novo Pôncio Pilatos e certamente se ajustará aos últimos momentos da igreja. Lavará com certeza suas mãos para que não perca o poder e possa admitir estar bem ajustado com a lei. Lei dos homens e não a de DEUS.

O mundo jaz no malígno e tem conduzido os muitos, que impressionavam as fileiras igreja e hoje utilizam com engano, ou "boa vontade", o desejo de ser  "altruísta" em querer realizar o melhor para a igreja.

A igreja precisa estar convencida que deve eliminar de seus átrios, os produtores de heresias e os que aludem o nome de uma denominação para prosseguir com os seus próprios desejos de triunfo material, e com certeza absoluta, a decadência do triunfo espiritual dos seus liderados. Até por pura cegueira e egocêntrismo. Pura vaidade!

Este ano será marcante na vida da igreja. E os próximos quatro anos do novo governo, será de grande contraste entre a política e a igreja. Quem viver verá!

Maranata! Vigiar e orar!

O menor de todos.

6 comentários:

Cidinha disse...

Pastor Newton,á paz do Senhor !

Sinceramente ,eu ainda não me decidi em quem votar,olho ,pesquiso,e nada me faz decidir por esse ou aquele candidato,para mim todos são iguais ,uns mais outros menos,o pior são aqueles que ficam em cima do muro ,não sabe se é PT ou PV,só sei de uma coisa ,tudo isso é muito triste,muito nojento.

Talvez eu decida pelo menos pior,pelo que menos escancara seus desejos sórdidos.

Fábio Santos disse...

Gostei do post e concordo contigo, pois independente de quem seja escolhido como presidente(a), acho que fará pouca ou nenhuma diferença para estabelecer os valores eternos de DEUS. A única esperança do cristão deve ser mesmo a volta de Jesus!!

"Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus" Tito 2:11-13

Fábio Santos disse...

Gostei do post e concordo contigo, pois independente de quem seja escolhido como presidente(a), acho que fará pouca ou nenhuma diferença para estabelecer os valores eternos de DEUS. A única esperança do cristão deve ser mesmo a volta de Jesus!!

"Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus" Tito 2:11-13

Alberto Couto Filho disse...

Pastor Newton,
O amigo, conforme falamos, deixaria orgulhoso de seus ensinamentos sobre os estilos de influência (Liderança), o mestre Ruy Mattos. Não sei se ele ainda está por ai, por esse “mundo cão”, para ver seus conhecimentos difundidos através de um homem de Deus, e repassados nesta esclarecedora postagem. Refiro-me aos estilos de indução que nos ensinou, através de algumas ações obedientes a uma sequência lógica, dentro do que chamou de “Contínuo da Intensidade de Influência” – Senti saudades do mestre
São elas: Alertar, Sugerir, Persuadir, Orientar, Impor, Seduzir e Fanatizar.
Senão, vejamos:

Alertar: Diz o amigo, iniciando o processo de influencia: O povo irá eleger o novo Pôncio Pilatos. Aqui está o surgimento da informação seletiva, orientada para que o povo de Deus venha a alterar seu comportamento subseqüente às eleições;

Sugerir: O amigo aponta para uma necessária eliminação, dos átrios da igreja, desses endemonhiados produtores de heresias. Esta medida cautelar visa suster a decadência do triunfo espiritual. O povo de Deus tem a sugestão, mas ainda assim, a aceitabilidade da sugestão estará ao seu critério;

Persuadir: É indiscutível: A voz do povo jamais resultou da voz de Deus. O termo “conversa fiada” caiu como uma luva para contrariar o que já é um contra – o contrasenso. O povo, mormente a parte dele que aceita as heresias, parece ter esquecido de que o Criador quer a moral e a ética a serviço do Seu reino. O povo, que não mais quer ouvir a voz de Deus, parece ter desconhecido o que vem a ser a moralidade, o respeito. Por esta, e por outras razões, ele não cresce espiritualmente;

Orientar: A orientação segura é, realmente, o vigiar e a oração. O que se discutirá, seja quem for o novo Pôncio Pilatos, provocará um abalo de proporção incalculável à vida do crente, no próximo ano, e o prenúncio de um embate entre a Política e a Igreja , nos próximos quatro anos, leva-nos a admitir conseqüências, eu diria, funestas dentro do contexto político-social-religioso da nação (da nação não foi proposital). Não vejo como o povo não aquiescer; não anuir diante dessa orientação;

Alberto Couto Filho disse...

Impor: Aqui a assimetria ou desnível na relação de poder entre o insigne e eminente servo de Deus, o influenciador, e os crédulos e ingênuos, os receptores, é determinante de uma séria reflexão sobre o assunto enfocado. O poder do conhecimento e, da informação do editor do blog impõem à comunidade cristã uma necessária reflexão sobre o momento vivido pela igreja de Cristo;

Seduzir; A experiência adquirida ao longo da sua existência no âmbito evangélico, estará levando ao ânimo dos seus seguidores e, como um todo, ao do povo cristão, uma viva emoção (carga emocional) em razão dos funestos, mas previsíveis e aceitáveis vaticínios do influenciador. Os receptores seus seguidores sensibilizados e não manipulados terão o emocional afetado, a partir da postagem e serão induzidos a seguir à risca a sabedoria contida na mensagem que os seduz, não só pelo carisma do influenciador, mas pelo de racional e lógico do seu texto; seduzidos, ainda, pelos iminentes e aflitivos lances adversos da eventualidade de um confronto (contraste) entre políticos e religiosos;

Fanatizar: Esta ação de influência não está sendo exercida pelo querido pastor, para o que poderíamos chamar de adesão cega a uma causa, pois percebe-se não ser o seu intento, inibir a consciência crítica dos seguidores do seu excelente blog. No entanto, a alusão é clara àqueles que se deixam levar por sectarismos, crendices e mitos, permitindo sua predominância sobre o que é racional. É o caso específico dos incautos, receptadores que têm inibida a sua capacidade de julgar quando transformam o dinheiro em ídolo e única fonte de sabedoria e de verdade. Os influenciadores, neste caso, passam a ter controle sobre suas vidas e, aproveitando-se disso, os esfolam tomando-lhes recursos sob a forma de ofertas voluntárias. Só Jesus!
Brinde-nos sempre com mensagens como esta.

Que Deus o abençoe.
Alberto Couto Filho

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo Alberto Couto,

A paz do Senhor!

Após este seu comentário, me perdoe, mas senti a necessidade de alterar a minha assinatura para o menor dos menores de todos.

O Senhor seja contigo e com a irmã Janete!

O menor dos menores de todos.